28 de dezembro de 2008

Atração turística

Enviado por Aristides Faria - RH em Hospitalidade


Não compreendo por que as autoridades e os empresários estão sempre dizendo que é necessário investir em “atrações turísticas”. Sem saber exatamente o que são atrações turísticas estas pessoas e instituições carregam uma bandeira confusa e, muitas vezes, prejudicial às comunidades e ao ambiente em que elas vivem.

Neste texto iremos comentar sobre as “atrações turísticas”. No texto 2 apresentamos algumas formas de impacto turístico: fomento à migração humana, inflação dos preços do mercado local e regional, baderna vadiagem e prostituição e degradação dos bens naturais. Mas, assim como o fluxo de pessoas pode impactar, ele pode trazer benefícios aonde ocorrem também. Desta forma, o planejamento do turismo deve ser feito de maneira estratégica, com metas de curto, médio e longo prazo e buscando sempre um modelo de desenvolvimento sustentável e inclusivo. Resumindo: as propostas de turismo devem ser “socialmente justas, ambientalmente corretas e economicamente viáveis!”.

Quando pensam em desenvolver um atrativo turístico, ou seja, algo que ajude a motivar o deslocamento de pessoas para determinado local, os profissionais devem ter em mente as diretrizes previamente elaboradas e debatidas no Plano de Turismo. Assim, em um município que deseja promover o turismo cultural, não seria interessante implantar uma grande casa noturna. Seria mais viável empreender um teatro ou uma casa de espetáculo ou, ainda, restaurar locais pitorescos e resgatar antigos costumes das gerações anteriores. Exemplos? Incentivando o comércio e a habitação no centro histórico da cidade de Florianópolis (SC) ao longo dos últimos anos, foi possível resgatar o costume que as pessoas tinham de permanecer por horas e horas no mercado público conversando e jogando dominó. Um exemplo real. Outro? O município de Bertioga (SP) promove a Festa Nacional do Índio, um evento que pretende valorizar a história e a cultura das comunidades indígenas tradicionais. Este é maior evento sobre tradição indígena do país.

Não se trata de “barrar” investimentos, inviabilizar a economia das localidades ou reduzir as possibilidades de desenvolvimento do turismo. Mas, sim, de buscar, regionalmente, oportunidades de expansão ordenada e planejada para a atividade turística, bem como para toda a cadeia de produtos e serviços inerentes.
A base do turismo sustentável está na lógica de utilizar racionalmente as potencialidades locais e regionais mitigando impactos e ampliando as possibilidades das gerações atuais e futuras. É muito difícil? Será impossível se não nos conscientizarmos de que a mudança começa em nós mesmos. Em nossas palavras e atitudes.

Gosto muito desta idéia: os atrativos turísticos estão todos prontos; Deus nos deu a grande natureza, nossa moradia e fonte de inspiração, nos proporcionou costumes tão belos, intrigantes e variados e, ainda, nos dá a oportunidade escrever a história de nosso tempo.
Agora você pode criticar os políticos que discursam sobre a “construção de mais atrativos para o turismo”. O que o ser humano pode construir são: estruturas para minimizar os impactos e estruturas que colaborem na gestão de bens comuns (como obras de arte únicas e espécies de fauna e flora ameaçadas de extinção).
Até a próxima... viajando nas dimensões do turismo!

Aloha!

Um comentário:

EBERSON OLIVEIRA disse...

Percebo também que muitos governantes e até mesmo profissionais da área confundem atrações com pontos turísticos criados por aquitetura e coisa mais...não que estes pontos turísticos,como o Cristo Redentor não possa ser considerado atrações turísticas, pelo que eu entendo, atrações turísticas, é sim, algo que possa motivar as pessoas a irem até aquele determinado local. Por isto a confusão que muitos tem, porém, ir até o 'Cristo' foi criado toda uma estrutura, tem uma logistica e de maneira nenhuma as pessoas vão ficar se decepcionar em dias claros.
Então concluindo para a vida real, uma atração turística deve ser algo que motive as pessoas, deve algo que os prefeitos, profissionais e todo os setores das comunidades saibam aproveitar e não explorar somente para fins lucrativos.
É preciso promover todos que estão envolvidos, assim, um atrativo Turístico consiguirá talvez chegar em um objetivo que e dar oportunidades a todos de viver momentos inéditos....